ISSN 1516-3687 versão impressa
ISSN 1980-6906 versão online

INSTRUÇÕES AOS AUTORES

Seções Temáticas

Com o objetivo de especificar o escopo da revista e de descrever os campos de publicação com maior afinidade à sua política editorial, foram definidas cinco seções alinhadas às principais áreas de atuação e pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento e do Curso de Psicologia da UPM, como descritas a seguir.

  • Avaliação psicológica: O objetivo da seção é divulgar trabalhos que evidenciem estudos psicométricos e/ou aplicação de instrumentos no processo de avaliação psicológica em diferentes contextos de atuação do psicólogo e demais profissionais que trabalhem em interface com a psicologia.
  • Desenvolvimento humano: O objetivo da seção é divulgar estudos sobre desenvolvimento humano e/ou seus transtornos com ênfase na interdependência de elementos biológicos, psicológicos e sociais nos processos de mudanças a partir de diferentes abordagens teóricas. Abrange também estudos sobre o desenvolvimento a partir de modelos experimentais em animais.
  • Psicologia e educação: O objetivo da seção é divulgar estudos em psicologia na interface com a educação a partir do conhecimento produzido em diferentes abordagens teóricas. Os estudos podem abranger políticas públicas em educação, formação de professores, aprendizagem e práticas inclusivas.
  • Psicologia clínica: O objetivo da seção é divulgar trabalhos voltados à saúde mental, em nível individual e coletivo, empregando dispositivos clínicos já consagrados ou em desenvolvimento. Os trabalhos podem enfocar aspectos diagnósticos, prognósticos, psicoterápicos em diferentes modalidades e abordagens teóricas da psicologia, contemplando também estudos em interface com outras áreas da saúde.
  • Psicologia social: A seção tem como objetivo divulgar estudos no campo da psicologia social cujos pressupostos teóricos e as estratégias metodológicas estejam orientados por uma concepção de sujeito como ser indissociável da sociedade e da história. As possíveis temáticas incluem saúde, trabalho, instituições e violência.

 

Processo Editorial

O processo editoral se inicia com o cadastro dos autores e submissão do manuscrito via SEER (http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp). Após submeter o artigo via SEER (ver item 8 "Normas de submissão do artigo", a seguir), será comunicado, via e-mail, ao autor sobre o recebimento do artigo. A primeira avaliação, referente à adequação do artigo às normas de submissão será feita pelos editores e, se o artigo estiver adequado, será avaliado quanto à adequação do seu conteúdo ao escopo das seções, qualidade metodológica, robustez teórica, ineditismo da produção. Caso contrário, poderão ser solicitadas adequações quanto à forma e conteúdo ou mesmo recusados pelo conselho editorial por não cumprirem quaisquer um desses critérios.

Após a análise da adequação às normas e conteúdo, o artigo será encaminhado para dois avaliadores ad-hoc, tendo por base o critério de revisão cega por pares (blind review). Após isso, será emitido um parecer consolidado pelo conselho de editores que indicará que o artigo avaliado foi: a) aprovado sem restrições; b) recomendado para nova análise após implementação de mudanças sugeridas e c) recusado. Em todos os casos, os autores serão notificados das decisões editoriais.

Quando houver discrepância entre as indicações dos revisores, os pareceres serão avaliados pelos conselho de editores e, caso necessário, o artigo será encaminhado para a arbitragem de um terceiro revisor.

Quando os autores tiverem que realizar modificações nos artigos, elas deverão ser realizadas dentro do prazo estipulado pelos editores. Juntamente com o artigo reformulado, no qual as mudanças deverão ser destacadas em vermelho, deverá ser enviada também uma carta com explicações das mudanças realizadas e o local de inserção no texto. Os pareceres serão enviados na íntegra aos autores que deverão incorporar as sugestões de mudanças ou justificar com clareza aquelas que julgarem que não são pertinentes.

Os artigos recusados poderão ser totalmente reformulados e submetidos à revista como um novo artigo, dando início a um novo processo editorial.

Depois de cumpridas todas as solicitações, o conselho de editores avaliará a pertinência das reformulações e justificativas das cartas, podendo remeter a nova versão para avaliação adicional dos pareceristas. Após isso haverá decisão final sobre o artigo e comunicação aos autores sobre a necessidade de nova reformulação, negação ou aceite.

Quando o artigo for aceito para publicação, aos editores reserva-se o direito de introduzir pequenas alterações para efeito de padronização, com ciência dos autores.

Uma vez que a Revista Psicologia Teoria e Prática adota publicação bilíngue de seus artigos, após o aceite final do artigo, os autores são responsáveis pelo envio, ao editor, da versão em inglês, em um prazo máximo de 30 dias, do artigo aceito para publicação. Essa versão obrigatoriamente deverá ser feita por um profissional especializado que garanta a qualidade linguística da versão a sua compatibilidade com o artigo em português. Os custos da tradução ocorrerão exclusivamente por parte dos autores que se comprometem a isso no envio da carta que autoriza o início do processo editorial. Caso a qualidade da versão em inglês não seja adequada ou não haja compatibilidade entre ela e o artigo aprovado em português, o artigo será imediatamente negado e seu aceite revogado, não sendo possível publicá-lo na Revista Psicologia Teoria e Prática. A RPTP indicará tradutores que poderão realizar tal trabalho.

 

 

Normas de submissão do artigo

As normas de submissão eletrônica seguem os seguintes passos:

No link http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) o autor deverá efetuar cadastro para emissão de senha. Depois de efetuado o cadastro, o autor deverá acessar o sistema para submeter o artigo.

Para essa submissão será necessário o preenchimento de dados dos autores (nome completo, filiação institucional, dados de autor responsável pela correspondência - nome, endereço postal, endereço eletrônico). Cada artigo terá um número máximo de seis autores. Em casos especiais, no qual se deseja ampliar o número de autores, deverá ser enviada uma justificativa para o editor da revista que decidirá por sua pertinência.

É necessário indicar uma seção para a qual o artigo está sendo submetido:

Avaliação psicológica: Responsável: Prof. Dr. Luiz Renato Rodrigues Carreiro e Prof.ª Ana Alexandra Caldas Osório

Desenvolvimento Humano: Responsável: Profª. Dra. Maria Cristina Triguero Veloz Teixeira

Psicologia e educação: Responsável: Prof. Dr. Camila Cruz Rodrigues

Psicologia clínica: Responsável: Prof.ª Dra. Marina Monzani da Rocha e Prof.ª Dra. Sandra Ribeiro de Almeida Lopes

Psicologia Social: Responsável: Prof.ª Dra. Bruna Suguagy do Amaral Dantas

Auxílios financeiros deverão ser indicados durante a submissão eletrônica no campo reservado para esse fim.

Junto ao artigo deverá ser enviada, como arquivo digital, uma carta (ver modelo) assinada por todos os autores e dirigida ao Editor, autorizando o processo editorial e transferindo todos os direitos autorais para a Revista Psicologia: Teoria e Prática.

É imprescindível que, quando se tratar de pesquisas com seres humanos, o autor envie uma cópia da aprovação do Comitê de Ética como arquivo digital. Mesmo artigos de casos clínicos e artigos sobre relatos de experiência profissional devem apresentar essa aprovação.

Os arquivos originais das tabelas, gráficos e figuras deverão ser inseridos no SEER como arquivos adicionais para, se necessário, serem utilizados na editoração final do artigo, caso esse seja aceito.

 

Direitos autorais

A Revista Psicologia: Teoria e Prática detém os direitos autorais de todas as matérias publicadas por ela. A reprodução total ou parcial dos artigos desta revista em outras publicações requer uma autorização escrita do Editor.

 

Estrutura do artigo

A redação do artigo poderá ser em português, espanhol ou inglês.

As modalidades previstas pela Revista são:

  • Artigos originais baseados em dados empíricos limitados a 15 páginas incluindo um número máximo de 20 referências. Seguir a estrutura: Introdução (não subdividir em tópicos); Método (identificar subseções: participantes, instrumentos ou materiais e procedimentos); Resultados; Discussão (incluindo a conclusão) e Referências.

  • Artigos teóricos com análises críticas de temas atuais limitados a 15 páginas incluindo um número máximo de 20 referências. Tratando-se de um artigo teórico, o autor poderá traçar o desenvolvimento da teoria para expandir e refinar os conteúdos, apresentar uma nova teoria ou analisar uma teoria existente. Por isso, a estrutura desse tipo de artigo pode variar quanto à ordem e conteúdo. Entretanto, deve constar: introdução, desenvolvimento e conclusão.

  • Artigos de revisão sistemática limitados a 20 páginas incluindo um número máximo de 40 referências. Seguir a estrutura: Introdução (não subdividir em tópicos); Método (critérios de inclusão do material na revisão, procedimentos de coleta dos dados documentais e procedimentos de análise); Resultados; Discussão (incluindo a conclusão) e Referências.

  • Artigos de casos clínicos limitados a 10 páginas, incluindo um número máximo de 15 referências. Seguir a estrutura: Introdução (não subdividir em tópicos); Método (caracterização clínica do caso, procedimentos de avaliação e intervenção); Resultados; Discussão do caso (incluindo conclusão) e Referências.

  • Artigos sobre relatos de experiência profissional limitados a 10 páginas, incluindo um número máximo de 15 referências. Seguir a estrutura: Introdução (não subdividir em tópicos); Método (caracterização dos procedimentos utilizados na experiência); Resultados e Discussão da experiência (incluindo conclusão); Referências.

  • Informes breves sobre dados de pesquisa, limitados a 5 páginas, incluindo um número máximo de 15 referências. Seguir a estrutura: Introdução (não subdividir em tópicos); Método (identificar subseções: participantes, instrumentos ou materiais e procedimentos); Resultados; Discussão (incluindo a conclusão) e Referências.

  • Resenhas de livros limitadas a cinco páginas, incluindo um número máximo de 10 referências. Tem como objetivo comentar obras recém-lançadas discutindo o tema do livro. Deve ser apresentado em texto contínuo. O título da resenha deverá seguir o padrão da revista indicando o nome do livro sobre o qual a resenha foi feita.

Em todos os artigos deverá constar:

• Título (com no máximo 12 palavras);

• Título abreviado (com no máximo cinco palavras);

• Indicação da seção da revista a qual o artigo foi submetido;

• Nome dos autores e afiliação institucional;

• Indicação do autor de correspondência com e-mail e endereço;

• Resumo em português (máximo de 150 palavras) com cinco palavras chaves;

• Versões em inglês e espanhol (do resumo e das palavras chave).

• Nas resenhas não é necessário apresentar resumos ou palavras chave.

• Não incluir notas de rodapé

Contagem das páginas: inicia-se a partir da Introdução até o fim das referências. Resumo/Abstract/Resumen não entram nesta contagem. Figuras, quadros e tabelas devem ser inseridos após as referências limitados a um total de quatro por modalidade de artigo, excetuando-se os informes breves que têm o limite de duas. Os arquivos originais das figuras, tabelas, quadros e gráficos devem ser submetidos, também, como arquivos separados.

Corpo do texto: não devem aparecer os nomes dos autores. Não é necessário iniciar uma nova página a cada tópico. Todos os artigos devem ser digitados em processador de texto Word for Windows, com espaço duplo, na fonte Times New Roman, com corpo 12, sem exceder o número de páginas em relação ao tipo de artigo. A página deve ser configurada em A4, com formatação para as margens de ao menos 2,54 cm na parte superior, inferior, esquerda e direita. Todas as páginas devem ser numeradas. O texto deve ser alinhado à esquerda, não justificado. Recue apenas a primeira linha do parágrafo. É proibido o uso de recursos especiais de edição de tipo sublinhado, hifenização, macros.

Resumo/Abstract/Resumen (alinhado à esquerda e em bloco único) com, no máximo, 150 palavras. O resumo deve conter uma representação breve, mas precisa do conteúdo do artigo contemplando os principais itens na ordem em que eles aparecem no texto. São necessárias cinco palavras-chave em cada um dos idiomas do resumo.

Anexos: Usados apenas quando forem estritamente necessários e incluídos somente após consulta ao Editor da revista.

Referências: Seguir normas da APA. Listadas por ordem alfabética de sobrenome dos autores. Os trabalhos de mesmo autor único são ordenados por ano de publicação (começando pela mais antiga).

 

Indicação de revisores

Juntamente com a submissão, os autores deverão indicar nomes de cinco possíveis revisores (e seus contatos como e-mail e telefone) que tenham afinidade ao tema tratado no artigo. Esses revisores obrigatoriamente deverão possuir título de doutor e não poderão ter publicado artigos em conjunto com qualquer dos autores. Esses nomes poderão ser escolhidos ou não pelo conselho de editores que julgará sua pertinência como revisores.

 

Indicação de tradutores

American Journal Experts - http://www.aje.com/

Elsevier – Translation Services - http://webshop.elsevier.com/translationservices/

Matthew Jenkins (Jenkins Traduções) - aksentrad@gmail.com

Sofie T. A. Martins - aksentrad@gmail.com

Martin Webster - martinwebster2@gmail.com

Arlete Belluzzo - alinea.assessoria@gmail.com

Academic Editing for Nurses - http://academiceditingfornurses.com/ - editor@academiceditingfornurses.com

Bridge Textos Técnicos Ltda - http://bridgetextos.com.br/ - language.services@bridgetextos.com.br

Enago Brasil - http://www.enago.com.br/ request-br@enago.com

José Belém de Oliveira Neto - ose.bon@uol.com.br

James Allen - jamesallen20@gmail.com

Exemplos de citações no corpo do texto com base nas normas da APA

Citação

É a menção no texto de uma informação extraída de outra fonte. O autor lança mão de um texto original para extrair a citação, podendo ser reproduzido literalmente (citação direta, literal ou textual), interpretado, resumido ou traduzido (citação indireta ou livre), ou podendo ser uma informação extraída de fonte intermediária (citação de citação).

Citações diretas, literais ou textuais

São transcrições literais e extraídas do texto consultado, respeitando-se todas as características formais em relação à redação, à ortografia, e à pontuação original.

Parte do trecho transcrito pode ser omitida mediante o emprego de três reticências entre colchetes, mas, ao final do trecho, indica-se de onde foi extraída a citação, o nome do autor, o ano e a página específica. A citação no texto é transcrita entre aspas duplas, e, no caso de ser uma citação textual curta, de até 40 palavras, deve vir incorporada ao parágrafo.

Exemplo:

"O aumento do consumo de tecnologia dura, entretanto, não tem acrescentado altos benefícios ao processo de produção da saúde, uma vez que os profissionais tendem a subestimar o diálogo com o paciente quando solicitam apenas uma bateria de exames" (Rezende, Schall, & Modena, 2011, p. 60).

Quando o nome do(s) autor(es) citado(s) ou o(s) título(s) da obra citada estiver(em) incluído(s) na sentença, apenas a data e a(s) página(s) são incluídas entre parênteses.

Citação que compreende 40 ou mais palavras é transcrita em texto separado e sem aspas. Deve ser iniciada em uma nova linha e com recuo de meia polegada (1,3cm) a partir da margem esquerda. No final deve ser informada a fonte e o número da página ou do parágrafo, este em caso de material da internet não paginado.

Exemplo:

"[...] Em outras palavras:

O importante é compreender que a vida afetiva – emoções e sentimentos – compõe o homem e constitui um aspecto de fundamental importância na vida psíquica. As emoções e os sentimentos são como alimentos de nosso psiquismo e estão presentes em todas as manifestações de nossa vida. Necessitamos deles porque dão cor e sabor a nossa vida, orientam-nos e nos ajudam nas decisões (Bock e colaboradores, 1990, p. 198).

Como se sabe, na linguagem diária e marcada pelo coloquialismo, isenta dos códigos científicos, as pessoas tendem a usar, no jargão oral, emoção, sentimento e afetividade como sinônimos, ao falar de uma experiência psicológica particular" (Pinto, 2005 )

Outro Exemplo:

Citações indiretas ou livres

São reproduções de ideias de outrem sem que haja transcrição literal das palavras utilizadas. Apesar de livres, devem ser fiéis ao sentido do texto original. Não necessitam de aspas.

Exemplo:

De acordo com Rey (2002), os princípios da redução de danos incluem a constatação de que o uso não médico de drogas psicoativas é uma ocorrência inevitável numa sociedade que tem acesso a tais drogas; consideram a priorização de objetivos de tratamento em que aqueles que são imediatos e realizáveis têm precedência quando não se pode esperar realisticamente a abstinência do usuário num futuro próximo.

Citação de citação

Quando o autor não se utiliza do texto original, mas de uma citação feita em obra consultada, a citação poderá ser reproduzida literalmente, ou ser interpretada, resumida ou traduzida. Esse tipo de citação deve ser evitado ao máximo, já que a obra final não foi consultada e pode haver risco de má interpretação e de incorreções. Neste caso, utiliza-se a expressão latina apud, seguida de indicação da fonte efetivamente consultada, e os dados do documento original devem ser mencionados na seção de referências.

 

Exemplos de referências

Artigo e/ou matéria de jornal

Naves, P. (1999, JUNHO 28). Lagos andinos dão banho e beleza. Folha de São Paulo, p.813.

Artigo e/ou matéria de jornal em meio eletrônico

Silva, I. G. (1988, SETEMBRO 19). Pena de morte para o nascituro. O Estado de S. Paulo. Disponível em: http://www.brazilnet.com.br.

Artigo de revista científica

Schmitz, M., Polanczyk, G., & Rohde, L. (2007). Remissão na adolescência e preditores de persistência em adultos. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 56 (1) 25-29.

Artigo de revista científica no prelo

Mansilla, H. C. F. (no prelo). La controversia entre universalismo y particularismo en la filosofía de la cultura. Revista Latinoamericana de Psicologia.

Trabalho apresentado em evento

Brayner, A. R., & Medeiros, C. B. (1994, SETEMBRO). Incorporação do tempo em SGBD orientado a objetos. In E.E. Presidente (Organizador), Simpósio brasileiro de banco de dados. Simpósio conduzido em Anais, São Paulo

Trabalho apresentado em evento e publicado em meio eletrônico

Guncho, M. R. (1998, OUTUBRO). A educação à distância e a biblioteca universitária. In: Seminário de bibliotecas universitárias, Fortaleza. Anais (nome do evento).

Livro

Peres, R.S. & Santos, M.A. (2012). Psicossomática psicanalítica: intersecções entre teoria, pesquisa e clínica. Campinas: Alínea.

American Psychiatric Association. (2003). Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (4º Ed.) (Dornelles, C. trad.). (primeira publicação 2000) Porto Alegre: Artmed.

Capítulo de livro

Sisto, F. (2007). Delineamento correlacional. In: N. M. Nunes. & C. D. Campos (Ed.), Metodologias de pesquisa em ciências: análises qualitativas e quantitativas. (pp. 90-101). Rio de Janeiro, RJ: Editora.

Dissertações/Teses

Ribeiro, C. A. (1986). O efeito da utilização do brinquedo terapêutico, pela enfermeira pediátrica, sobre o comportamento de crianças recém-hospitalizadas. (Dissertação de Mestrado não publicada) - Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

 

Checklist

Antes de submeter o artigo, verifique se os seguintes itens estão inclusos no seu artigo:

  • Preenchimento de todos os campos listados no SEER (http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp);

  • Formatação do artigo de acordo com as diretrizes da APA (citações, referências e tópicos do artigo);

  • Título com no máximo 12 palavras;

  • Título abreviado com no máximo cinco palavras;

  • Resumo com cinco palavras-chave;

  • Abstract com cinco keywords;

  • Resumen com cinco palabras clave;

  • Referências de acordo com as normas da APA;

  • Figuras e tabelas em seus formatos originais (limitados a um total de quatro por modalidade de artigo, excetuando-se os informes breves que têm o limite de duas);

  • Carta de encaminhamento (de acordo com o modelo);

  • Protocolo de aprovação do Comitê de Ética (não sendo necessário apenas para artigos teóricos);

  • Indicação da seção da revista para a qual o artigo foi submetido;

  • Indicação de cinco possíveis revisores com e-mail e telefone;

  • Termo de cessão de direitos autorais (de acordo com o modelo);

  • Anexos (somente quando estritamente necessários e autorizados pelo editor)

  • Uma vez que a Revista Psicologia Teoria e Prática adota publicação bilíngue de seus artigos, após o aceite final do artigo, os autores são responsáveis pelo envio, ao editor, da versão em inglês, em um prazo máximo de 30 dias, do artigo aceito para publicação. Essa versão obrigatoriamente deverá ser feita por um profissional especializado que garanta a qualidade linguística da versão a sua compatibilidade com o artigo em português. Os custos da tradução ocorrerão exclusivamente por parte dos autores que se comprometem a isso no envio da carta que autoriza o início do processo editorial. Caso a qualidade da versão em inglês não seja adequada ou não haja compatibilidade entre ela e o artigo aprovado em português, o artigo será imediatamente negado e seu aceite revogado, não sendo possível publicá-lo na Revista Psicologia Teoria e Prática. A RPTP indicará tradutores que poderão realizar tal trabalho.

 

Endereço

Editora

Profª. Drª. Alessandra Gotuzo Seabra

Revista "Psicologia: Teoria e Prática"
Centro de Ciências Biológicas e da Saúde
Programa de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento
Rua da Consolação, 896 – Prédio 28, 1º andar. São Paulo – SP, Brasil.
CEP: 01302-907

Fone: (11) 2766-7069

 

 

[Home] [Sobre esta revista] [Corpo editorial] [Assinaturas]


©2005  Psicologia: Teoria e Prática

Rua da Consolação, 896
Prédio 38, térreo
CEP 01302-907 - São Paulo – SP
Tel.: +55 11 2114-8142


revistapsico@mackenzie.com.br