Scielo RSS <![CDATA[Revista de Psicologia da UNESP]]> http://pepsic.bvsalud.org/rss.php?pid=1984-904420160001&lang=pt vol. 15 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://pepsic.bvsalud.org/img/en/fbpelogp.gif http://pepsic.bvsalud.org <![CDATA[<b>Os sentidos do trabalho e o papel das incubadoras de empreendimentos solidários do Paraná</b>]]> http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-90442016000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A Economia Solidária vem crescendo e se desenvolvendo como forma alternativa de geração trabalho e renda. Este artigo resulta de pesquisa realizada junto às Incubadoras de Empreendimentos Solidários do Paraná e reflete sobre suas atividades e sobre o papel que desempenham no âmbito da Economia Solidária. O objetivo foi aproximar-se das cinco principais Universidades do Paraná e, por meio de entrevistas com os coordenadores e trabalhadores assessorados, entender como realizam o seu trabalho. Os resultados indicaram a relação dos envolvidos, suas dificuldades e os seus principais significados. Mostram-se ainda alguns dilemas políticos e estruturais pelos quais as Incubadoras passam e como elas podem se aprimorar para que a Economia Solidária possa ser um conhecimento gerado e fundamental para essas instituições.<hr/>The solidarity economy has been growing and developing as an alternative way of work and income. This paper presents research about solidarity business incubators in the state of Paraná and will discuss their activities and explain the role played by them in the field of solidarity economy. The goal of the research investigated the process of work in incubators throw interview of workers and coordinator of the incubator in the five largest Parana s Universities. The results evince the relation between the people doing this work, their difficulties and the meanings attributed to work. The results also show some of the fundamental and political dilemmas that the incubators face on daily activities and how they can improve themselves. <![CDATA[<b>Uma reflexão sobre a pesquisa e a produção de conhecimento na universidade</b>]]> http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-90442016000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente artigo propõe uma reflexão sobre os modos de fazer pesquisa e sua relação com a produção de conhecimento na Universidade. Para tanto, nos guiaremos por três questões centrais que tentaremos responder: que saber ou conhecimento é este produzido na Universidade, como o produzimos no sentido do método utilizado e qual a concepção de sujeito com a qual trabalhamos. A depender das respostas a essas indagações temos possibilidades distintas de pesquisas: essas se fundam em éticas e paradigmas que vão ao encontro ou se distanciam de modos dicotômicos e tecnicistas de produção de conhecimento.<hr/>This paper proposes a reflection on the manners of scientific research and its relation to the production of knowledge in the University. Three central questions will guide this study: what kind of learning or knowledge is produced in the University? How is it produced in the sense of method used? And what is the concept of subject worked with? Depending on the answers to these questions there are different possibilities of scientific research: these are based on ethics and paradigms that meet or move away from dichotomous and technicist methods of knowledge production. <![CDATA[<b>Alienação e criatividade na constituição da subjetividade: contrapontos entre Lacan e Winnicott</b>]]> http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-90442016000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo parte da discussão sobre a constituição da subjetividade em uma perspectiva psicanalítica e, mais especificamente, o quanto uma pessoa repete o desejo do outro e o quanto ele, autenticamente, pode criá-lo na definição de sua identidade. O objetivo desta pesquisa é discutir a dicotomia entre alienação e criatividade na constituição da subjetividade. Para tanto, se respaldará na teoria do narcisismo e se utilizará principalmente dos conceitos de alienação e desejo, da teoria lacaniana, e de criatividade e espaço potencial, da teoria winnicottiana. Compreendendo que as contribuições de ambos os autores são originais e importantes para esta reflexão, busca-se utilizá-las para ajudar a entender os dilemas fundamentais que se colocam na definição da identidade dos seres humanos.<hr/>This article approaches the constitution of subjectivity under a psychoanalytic perspective, specially trying to understand how much someone repeats other’s desire and how much he can authentically create it in its own identity definition. Its objective is to discuss the dichotomy between alienation and creativity in subjectivity´s constitution. In this sense, it will be based in the narcissism, especially employing the concepts of alienation and desire from Lacanian theory and Winnicott’s concepts of creativity and potential space. Understanding that the contributions of both authors are original and important to this discussion, it stands that they are useful to enable the further understanding of the fundamental dilemmas in defining human identity. <![CDATA[<b>Recursos artístico-expressivos na terapia familiar</b>: <b>um estudo teórico-clínico</b>]]> http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-90442016000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Objetiva-se com este artigo discutir o emprego de recursos artístico-expressivos na terapia familiar. Organiza-se como um estudo teórico-clínico, pautado na metodologia qualitativa. Dessa forma, inicia-se com uma apresentação dos aspectos teóricos que fundamentam esse tipo de intervenção com o público em questão. Posteriormente, apresenta-se uma ilustração clínica de uma família acompanhada em um serviço-escola de Psicologia, cujo atendimento foi mediado pelos recursos artístico-expressivos. Finaliza-se apontando para o potencial da arteterapia em intervenções familiares, compreendendo-se que esta favorece não apenas a comunicação dos participantes como também a elaboração de questões concernentes ao grupo familiar.<hr/>This article aims to discuss the use of artistic and expressive resources in family therapy. It is organized as a theoretical-clinical study, based on qualitative methodology. Thus begins with a presentation of the theoretical aspects underlying this type of intervention with the public involved. Then, it presents a clinical illustration of a family accompanied in a psychological university service, whose treatment was mediated by artistic and expressive resources. Terminates, pointing to the potential of art therapy in family interventions, it being understood that it promotes not only the communication of the participants but also the elaboration of issues concerning the family group. <![CDATA[<b>O dispositivo intercessor na Assistência Social</b>: <b>um modo de transformação da realidade</b>]]> http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-90442016000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O Dispositivo Intercessor pode ser considerado como um modo de produção de subjetividade singularizada e de saber em dois momentos: o primeiro, na práxis de trabalho com os sujeitos considerados em situação de vulnerabilidade e/ou risco social que demandam atendimento em estabelecimentos do Sistema Único da Assistência Social (SUAS). No segundo momento, a posteriori, na produção de conhecimento de estatuto epistemológico, diferente do produzido na Universidade, pois é um saber voltado para a práxis e para implicar trabalhadores que desejam se tornar intercessores. Esse dispositivo pode ser considerado como um modo pesquisa eminentemente qualitativa, e pretende romper com a divisão social do trabalho, entre pensar e fazer, considerando a Universidade como lócus essencial dessa contradição.<hr/>The Intercessor Device can be considered basis to production of knowledge and singular subjectivity at two moments: on the first, on the work praxis along the subjects considered in vulnerability situation and/or social risk, which demand attendance at Social Assistance Unic System (SUAS). On a second moment, a posteriori, at the knowledge production in the epistemological state, different of the one produced at the University, since it’s knowledge driven to the praxis and imply workers that aim to become intercessors. This device can be considered an important qualitative research tool, and intend to break with the social division of work, between think and make, taking the University as an essential locus of this contradiction. <![CDATA[<b>As vivências de morar só em interface com a pós-modernidade</b>: <b>perspectivas de jovens universitários</b>]]> http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-90442016000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A presente pesquisa teve como objetivo problematizar as hipóteses, principalmente, de Lasch (1983) e Sennett (1988), sobre relações interpessoais no contemporâneo, tendo como plano de fundo o processo de individualização, do qual elegemos como referência o crescente número de pessoas morando sozinhas no Brasil (IBGE, 2011). Os dados bibliográficos foram confrontados com o conteúdo de entrevistas semidirigidas com 5 estudantes de graduação que residem sozinhos(as). A despeito de ser um estilo de vida engendrado pelas demandas do sistema econômico vigente, constatamos que tal experiência é ressignificada pelos sujeitos, os quais atribuem sentidos de liberdade e desenvolvimento a tal vivência. Além disso, a solidão representa uma sensibilidade à ausência dos demais e abertura de possibilidades para o encontro com o outro.<hr/>This study aimed to discuss the hypothesis, especially in Lasch (1979) and Sennett (1988), about interpersonal relationships in the contemporary, with the background of the individualization process, which we have chosen as an exponent the growing number of people living alone in Brazil (IBGE, 2011). Bibliographic data were confronted with the contents of semi-structured interviews with 05 undergraduate students who lives alone. Despite being a lifestyle engendered by the demands of the current economic system, we found that such experience is re-signified by the subjects, who attribute meanings of freedom and development of such experience. Also, loneliness is a sensitivity to the absence of the Other and opening possibilities for meeting Others. <![CDATA[<b>Infância</b>: <b>dizeres e experiências</b>]]> http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-90442016000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este trabalho apresentará reflexões sobre a infância contemporânea, com base na interface entre a perspectiva histórico-cultural e os recortes de quatro rodas de conversa realizadas na sala de espera de uma UBS (Unidade Básica de Saúde) na cidade de Uberlândia-MG. As rodas acontecem semanalmente, têm 1 hora e 30 minutos de duração e os usuários são convidados a conversar sobre algum tema. As rodas analisadas neste trabalho tiveram como tema a infância. Por meio do contato e análise dos relatos consubstanciados com a teoria, foi possível pensarmos sobre a dinâmica das relações entre adultos e crianças, o impacto da mídia e tecnologia na constituição das crianças, a importância e a riqueza do brincar, as reverberações nos adultos ao refletirem e (re) viverem alguns sentimentos de sua própria infância, bem como as múltiplas formas nas quais a infância se apresenta a nós. Os desafios de pensar e falar da infância estão ligados diretamente à complexidade e à diversidade dos modos de se experienciar a infância.<hr/>This research aims to present reflections on contemporary childhood, from the interface between the cultural-historical perspective and clippings of four groups of conversation, held in a waiting room of an Elementary Health Unity in Uberlândia. These events took place weekly, lasting one hour and thirty minutes, in which users were invited to talk about some topic. Those groups analysed as their theme childhood. Through the contact and analysis of reports substantiated the theory, it was possible to think about dynamics of relationships between adults and children, the impact of media and technology on its constitution, the importance and fullness of playing, the reverberations in adults to reflect and (re) live some feelings of their own childhood, as well as the multiple ways in which childhood is presented to us. The challenges of thinking and speaking of childhood is linked directly to the complexity and diversity of manners of experiencing childhood.