SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.41 número2Familias brasileras y argentinas: entre la tradición y la modernidadLa cuestión de la validad de las normas morales a partir de las perspectivas de la filosofía y el psicoanálisis índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Compartir


Interamerican Journal of Psychology

versión impresa ISSN 0034-9690

Interam. j. psychol. v.41 n.2 Porto Alegre ago. 2007

 

 

Câncer de próstata, sentimento de impotência e fracassos ante os cartões IV e VI do Rorschach

 

Prostate cancer, feelings of impotence and failures before cards IV and V of Rorschach

 

 

Ana C. A. Tofani1; Cícero E. Vaz

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil

 

 


RESUMO

O objetivo deste estudo é compreender os sentimentos de impotência e fracassos com base em dados empíricos extraídos dos cartões IV e VI da técnica de Rorschach aplicado em vinte e cinco pacientes com câncer de próstata em atendimento ambulatorial num hospital de câncer. O Rorschach foi aplicado nas dependências do próprio hospital, após consentimento livre e esclarecido dos pacientes e aprovação do Comitê de Ética do hospital. O estudo permite concluir que por se tratar de um órgão que afeta a sensibilidade sexual masculina, a depressão e o sentimento de impotência estão presentes em todos os pacientes, mesmo naqueles em que a impotência possa ser temporária.

Palavras-chave: Teste de Rorschach, Câncer de próstata, Sexualidade, Depressão (emoção).


ABSTRACT

The purpose of this study was to understand the feelings of impotence and failure, based on empirical data extracted from cards IV and V of the Rorschach technique. It was carried out with twenty five prostate cancer patients in a specialized cancer hospital. The Rorschach was applied inside the hospital after both the patients' free and conscious consent and the approval of the hospital's Ethics Committee. The study allowed to conclude that depression and impotence feelings are present in all prostate cancer patients, even in those whose impotence may be temporary, since the prostate is an organ that affects sexual male sensibility.

Keywords: Rorschach test, Prostate cancer, Sexuality, Depression (emotion).


 

 

O presente estudo visa a buscar elementos teóricos e empíricos que ajudem na avaliação diagnóstica, no que diz respeito às condições emocionais do paciente de câncer de próstata. O sofrimento do homem portador de câncer de próstata afeta seu bem-estar físico e emocional, assim como a qualidade de vida em geral. Para um adequado tratamento profissional, inclusive quanto à aceitação da doença e como lidar com os sentimentos, que surgem neste momento é de fundamental importância o diagnóstico médico associado ao exame psicodiagnóstico. Neste sentido, a avaliação psicológica por meio de uma técnica projetiva como a do Rorschach pode trazer importante ajuda instrumental.

Câncer da Próstata

O câncer surge quando as células de alguma parte do corpo começam a crescer sem controle e usualmente assumem forma de tumor. Os tipos de câncer podem comportar-se de maneiras diferentes e respondem a distintos tratamentos, segundo a National Comprehensive Cancer Network (NCCN, 2001).

O câncer de próstata é o segundo tumor maligno mais freqüente no sexo masculino no Brasil (Instituto Nacional do Câncer [INCA], 2004). No passado, muitos destes casos eram diagnosticados tardiamente e os pacientes morriam em pouco tempo. A próstata é uma glândula exclusiva dos homens, situada logo abaixo da bexiga, de aparência e volume muito semelhante a uma castanha. É responsável pela produção de boa parte do líquido seminal. Com o envelhecimento a próstata está sujeita a duas condições: aumento benigno (HPB - hiperplasia prostática benigna) e câncer de próstata. O câncer de próstata é a segunda causa de morte em muitos países. Gomes (2003) destaca que além da idade devem ser considerados os fatores genéticos, alimentação e fatores raciais.

Diagnóstico Clínico e Condições Psicológicas

O diagnóstico de câncer da próstata pode ser feito a partir de dois exames básicos o toque retal para avaliar o volume da glândula e a presença de nódulos suspeitos, e o PSA (Prostatic Specific Antigen). Os temores mais freqüentes em pacientes com este diagnóstico relacionam-se com a disseminação da doença e com as mudanças na sensibilidade sexual (Lintz, et al., 2004). Os assuntos relacionados com a sexualidade preocupam muito aos pacientes que sofrem de câncer de próstata, e segundo a NCCN (2001) algumas sugestões podem ajudar os homens a enfrentar este momento e buscar apoio em outras pessoas.

O tratamento do câncer de próstata afeta a masculinidade e contribui para que muitos homens se tornem impotentes, mas segundo Simkins (2002), os sobreviventes valorizam a qualidade de vida possível como conseqüência deste tratamento. Bokhour, Clark, Inui, Silliman, & Talcott (2002) apontam modificações na qualidade de intimidade sexual, na interação com as mulheres, nas fantasias e na percepção de sua masculinidade.

Os pacientes com câncer apresentam uma incidência de depressão maior do que a população geral (Carvalho, 2002). O autor adota como referência os critérios do DSM-IV (Manual de Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais - 4ª Edição), mas com algumas adaptações. Os sintomas perda de peso, distúrbios de sono, fadiga ou perda de energia e diminuição da habilidade de pensar ou de se concentrar perdem a especificidade nos pacientes com câncer, pois estes podem ser desencadeados por outras causas devido à doença e não à depressão. O autor comenta que nestes pacientes a perda de peso deve ser substituída pela presença de aspecto deprimido, a insônia pode ser substituída pela diminuição dos contatos sociais, a fadiga substituída por sentimentos de auto piedade ou pessimismo, e ainda a diminuição de concentração ou habilidade de pensar ser substituída por perda de reatividade e dificuldade de se animar. A dor é um elemento a ser considerado ao se fazer diagnóstico psiquiátrico, e é sempre recomendável que a dor seja removida antes de firmar este tipo de diagnóstico. Alguns pacientes podem apresentar quadro de depressão em função dos próprios tratamentos quimioterápicos ou com corticosteróides. Pacientes com câncer que apresentam depressões freqüentes têm maior possibilidade de terem tido episódios depressivos na juventude. Outro ponto destacado pelo autor quanto à instalação da depressão ou seu agravamento é a fragilidade de uma rede social